Archive | 2012.12.18

ETNOGRAFIA DO LITORAL ESTREMANHO, por José Armando Simões

etnografiadolitoralestremanho_princ

Neste projecto sobre o Folclore e a Etnografia do Litoral Estremanho, pretende-se realizar uma encenação de dois elementos distintos da tradição e património orais da minha região. Encontramo-nos no triângulo geográfico Cela Velha – Nazaré – Alcobaça  em inícios do século XX, onde o quotidiano das pessoas era dedicado ora ao compromisso do trabalho árduo ora, em certas ocasiões do calendário litúrgico, à fé e à religião cujas celebrações sempre levavam a folia, divertimento e namorico.

Além da integridade e genuinidade em relação à época retratada com que procurou ser executada, esta encenação tem como propósito não só documentar e registar parte integrante da tradição desta região (que se arrisca a ser perdida e esquecida, não tendo qualquer suporte que a retrate) mas também expo-la e partilha-la com outras pessoas, sempre dignificando e protegendo um património imaterial verdadeiramente rico e interessante.

O processo consistitui então na representação e recolha audiovisual dos seguintes elementos:

A) Os Batedores de Água (Cantiga de Trabalho) – Nas valas e rios do campo da Cela Velha, homens munidos de cabaços tiravam água para dentro de tabuleiros que corria para a terra, onde outros trabalhadores a dividiam. Era um trabalho penoso, dificil, feito por homens fortes. Cantavam quadras à vez, tanto para incentivo como para exigir aos patrões o pagamento do trabalho: o pirolito de dois litros e meio de vinho.

B) Sírio à Nossa Senhora da Nazaré – O sírio da prata grande para a Senhora da Nazaré passava pela Cela Velha, onde comboios chegavam abarrotados de pessoas e onde os romeiros da região se juntavam para dali fazerem o resto do caminho a pé. Os “anjos” entoavam Loas junto das alminhas ou santuários no seu percurso até às festas do Sítio. Findas as romarias religiosas, as festas do Sítio eram lugar para descantes e bailaricos.

Ao utilizar o Korsakow como suporte, espera-se atingir uma abordagem que, sendo interactiva, seja mais apelativa e interessante para explorar o tema do folclore e etnografia, que geralmente não tem muito procura. O projecto encontra-se quase concluído, precisando apenas de algumas revisões, tanto etnológicas como técnicas, às ligações e estrutura dos vários excertos de video entre si.

etnografiadolitoralestremanho_especific2

Anúncios

Projectos entregues

Lista dos alunos pela ordem com que apresentaram na aula com links para os respectivos videos interactivos online:

Bruno Gomes » Liquid Sound Sculptures

Bruna Mariano » De Gota em Gota

Carolina Roque + Maisa Ribeiro » Water Sensations

João Moreno » História dos Videojogos

Marta Capelo » Do It Yourself

António Nobre » Patterns

Mariana Stoffel » A Conversa Dela

José Bento » ZIBA

Projectos ainda não apresentados:

Sara Pereira » The Shape of Water (apresentado o conceito) 

Ela Settler + Ivan Vuksanov » Around 60%

José Simões » Folclore e Mar

Margarida Rebelo » O Sonho

Inês Pereira » Água do Mar / Pranchas de Surf

A CONVERSA DELA, por Mariana Stoffel

 

A Conversa Dela

Uma conversa de interação com água.

O meu projeto inicial era a criação de músicas com sons de diversas experiências de água, usando o programa como uma mesa de mistura.

À medida que fui elaborando o projeto, cheguei à conclusão que os sons arranjados funcionavam melhor como conversa do que como música.

O objetivo do filme é, não só explorar o campo auditivo, reconhecendo diversos sons produzidos pela água, como também explorar as memórias e sensações que esta nos transmite. A interação é feita através do som do clique e do som de fundo, que o utilizador pode manipular a seu gosto, conforme o desenvolvimento do vídeo, também este feito por quem o vê, através do percurso de filmes que decide escolher.

Para a captação dos vídeos foi usada uma handycam Toshiba CamileoX200,  na edição foi usado o programa Corel Studio Video Pró, a apresentação dos vídeos é feita no korsakow. O som de clique e de fundo foram gravados com um ipad, num programa específico que este tem.

2a 3a 4a

WATER SENSATIONS, por Carla Maisa Ribeiro e Carolina Roque

watersensations_princ

Water Sensations é um projecto em dupla que foi desenvolvido com intenção de explorar as sensações e o mar.

O trabalho foi realizado no âmbito da disciplina de Metodologia Projectual Multimédia. Seleccionámos quarto pessoas diferentes para descreverem o que sentem, mostrando de seguida o time lapse de uma maré – a descer ou a subir, dependendo dos participantes e das suas acções, com um total de 12 vídeos que podem ser vistos as vezes que se desejar. As ideias surgiram a partir de duas sugestões nossas, visto que uma queria falar sobre a maré e a outra sobre as sensações. Foram feitos vários planos conceptuais. As filmagens da maré foram realizadas no exterior, em S. Pedro do Estoril, com recurso a suporte digital. Após termos reunido o material, começámos a trabalhar cada personagem segundo o que estava predefinido. O trabalho foi apresentado na plataforma Korsakow.

Colaborações:

Leila Bettencourt, Gustavo Romano, Teresa Roque e Natália Roque e escola Surf In – S. Pedro

watersensations_especific3

Interface inicial

watersensations_especific2

Interface time lapse

watersensations_especific1

Interface participante

Divulgação

SurfIn São Pedro (Facebook)

Surfing Clube de Portugal

Surfing Clube de Portugal (Facebook)

SONIC ZEN online shop (grupo fechado de surfistas no Facebook)

 

Etapa 4 | Sara Pereira

Ficam aqui a Macro e Microestruturas do projecto para o video interactivo.

Macroestrutura

Novo Mapa

Para evitar confusão, esquematizei apenas um dos caminhos a seguir a partir do video inicial de apresentação. Todos os outros caminhos serão iguais em termos de estrutura.

Microestrutura

Micro

Exemplo:

Micro2